O Retorno do Ernesto


Como sabem os amigos, há dois anos o sedentário Luiz Ernesto, este que vos escreve estas parcas linhas, optou por participar de treinos de corrida a convite de nosso ilustre amigo Wilson Takeo. Naquela época treinávamos de terça e quinta no Ibirapuera, sentre 20:30 e 21 horas, onde se juntavam os amigos Max e Rodrigo. Depois de alguns treinos, onde descobri a capacidade que nosso organismo tem de se condicionar rápidamente, já me sentia apto a participar de maratonas.

Saliento que antes de começar os treinos, fiz uma consulta à cardiologista, Dra. Janieire, que após análise dos exames, me passou todas as orientações e até uma planilha de tempo de acordo com minha capacidade cardiorespiratória. Acho até que não é exagero dizer que a Dra. “Jani” é a cardiologista oficial do Bora Corrê, uma vez que ela atende “metade” dos participantes de nosso simpático grupo de corridas.

Voltando ao assunto, a primeira maratona ninguém esquece, e realmente me lembro de cada detalhe: da excitação da véspera, coisa comum quando nos preparamos para o inusitado. E posso dizer que minha iniciação foi em grande estilo, já que foi na praia, na primeira prova do Circuito das Praias, em Peruíbe, no ano de 2008.

Acho que foi uma ótima escolha termos reservado um hotelzinho ao lado da largada. Só não sei se foi tão bom para o Max e o Rodrigo, uma vez que tiveram que dormir juntos numa cama de casal (rs,rs,rs..) Dizem que o Max dormiu no chão. Mas isso nunca ficou comprovado (rs,rs..).

Mas de minha parte tem uma anedota também, pois alguma coisa sempre acontece com o novato. Ocorreu comigo mais ou menos assim: no sábado à noite, véspera da corrida, caminhávamos pelo centro de Peruíbe à busca de uma sorveteria para aliviar o calor. E eu, morrendo de sono, queria tomar um açaí para ter um pouco de energia para a corrida da manhã seguinte. Finalmente encontramos um lugar que tinha essa delícia energética, e eu pude saborear meu açaí na tigela com banana (sem aquela granola dura de quebrar os dentes).

E adivinhem o que aconteceu?

Não, não deu dor de barriga. Antes fosse.

Passei de sonolento a alucinado. Não consegui dormir patavinas. Mas acabei fazendo uma boa prova, corri tranquilo os 5 kms (não quis fazer de cara os 10, mas penso que até dava “pé”). Mas o mais importante foi sentir aquele “frisson”, toda aquela gente animada, se alongando ao lado da praia, todos de bom astral. Não sou muito fã de multidão, mas nos aglomerados de maratonistas, ou de caminhadistas, me sinto bem.

Participei de outras maratonas, inclusive uma de revesamento, mas acabei parando e chegando à conclusão de que o corpo também se condiciona rapidinho ao sedentarismo.

Mas pretendo voltar novamente, e mesmo estando um pouco fora de forma, quis participar da corrida Troféu Cidade de São Paulo (ocorrida no último 25 de janeiro) , não sem antes passar pelo crivo de nossa cardiologista oficial, é claro.

E nada melhor do que participar do Circuito das Praias em Peruíbe neste próximo dia 21 de fevereiro, para, além de reforçar o retorno às corridas, também comemorar em grande estilo os 2 anos do Bora Corrê, com os amigos de sempre, e com os novos que estarão participando pela primeira vez desse marcante circuito.

E bora corrê…

Na foto, da esquerda prá direita, o quarteto: Wilson Takeo, Rodrigo Caldas, Luiz Ernesto e Max.

2 ideias sobre “O Retorno do Ernesto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s